Contaminação cruzada

Evite a contaminação cruzada na sua cozinha

Entenda que é a contaminação cruzada e proteja a saúde da sua família de muitas doenças causadas por micro-organismos. A transferência de micro-organismos causadores de doença para os alimentos pode ser a causa de várias DTAs (Doenças Transmitidas por Alimentos), algumas bem graves. Mas a boa notícia é que é possível prevenir, basta tomar alguns cuidados, leia esse post para aprender como.



O que é contaminação

Primeiramente é importante definir o que se entende por contaminação.

Contaminação é a presença de todo e qualquer objeto, substância ou organismo estranho e indesejável no alimento ou produto. Existem dois tipos de contaminação: a visível e a invisível.

  • Contaminação visível – é aquela causada por partículas que podem ser facilmente observadas, como, por exemplo: fios de cabelo, terra, insetos, lascas de madeira etc.
  • Invisível – é a causada por micro-organismos ou substâncias químicas, como agrotóxicos, desinfetantes ou resíduos de metais, por exemplo, que são invisíveis a olho nu.

Bactérias



Nem todos os micro-organismos são prejudiciais

E os micro-organismos estão em toda parte: no ar, na água, no solo, no corpo dos seres humanos e de animais sadios, nos utensílios e superfícies em geral e nos próprios alimentos, principalmente os crus. 

Os micro-organismos que são nocivos são também chamados de patogênicos. Estes podem ser extremamente perigosos para a saúde causando várias doenças e até mesmo a morte.

As DTAs (Doenças Transmitidas por Alimentos) podem ser resultado direto da presença dos micro-organismos patogênicos ou das toxinas produzidas por alguns deles.

O nível a partir do qual aparecem os sintomas (vômitos, diarreia, febre, dor de cabeça etc.) e a gravidade da doença varia de pessoa para pessoa, dependendo da idade, estado de saúde e um número variado de outros fatores.

Mas é importante dizer que nem todo micro-organismo é nocivo para a saúde. Existem muitos micro-organismos benéficos e que são indispensáveis para produzir alimentos que adoramos como iogurte, cerveja, vinho, certos tipos de queijo etc.



O que é contaminação cruzada

Contaminação cruzada é a transferência de micro-organismos patogênicos de um alimento contaminado para outro, direta ou indiretamente.

A contaminação cruzada é direta quando um alimento contaminado transmite os germes para outro alimento.

Já a contaminação cruzada indireta ocorre no contato do alimento com superfícies contaminadas. Essas superfícies podem ser: utensílios de cozinha, superfícies de pias e geladeiras ou mesmo nossas próprias mãos mal lavadas.

E basta um mínimo contato para que ocorra a contaminação.



Como evitar a contaminação cruzada

A contaminação cruzada, tanto direta quanto indireta, pode ser evitada através de práticas higiênico-sanitárias adequadas.

A importância do cozimento

O cozimento além de conferir sabor e amaciar os alimentos, destrói a maioria dos micro-organismos, inclusive os patogênicos, por isso é um meio de conservação bem eficiente.

Mas o calor não destrói muitas das toxinas já produzidas pelos micro-organismos nos alimentos, por isso, é importante ter também outros cuidados.

Além disso, muitos alimentos são consumidos crus, daí a importância de boas práticas de higiene na manipulação dos alimentos em geral.


Lavar bem as mãos é indispensável

As mãos são um importante veículo de contaminação dos alimentos.

Assim, para se evitar a contaminação cruzada através das mãos sujas é indispensável lavar bem as mãos antes e durante a manipulação dos alimentos.

Evite a contaminação cruzada: lave bem suas mãos antes de manipular os alimentos.

Dessa forma, lave bem as mãos também sempre depois de manusear alimentos crus, como carnes, pescados, ovos, hortaliças e frutas.



Evitando a contaminação cruzada através de superfícies e utensílios

Para evitar a contaminação cruzada indireta, lave bem utensílios como louças, facas, tábuas (leia post) e bancadas, sempre depois de terem sido usados em alimentos crus.

Ou seja, nunca use os mesmos utensílios sem lavar, em alimentos cozidos, após ter manipulado alimentos crus.

Atenção principalmente em churrascos: use tábuas, facas e pratos separados para a carne crua e assada.

Da mesma forma, não prepare saladas nas tábuas de cortar, que tenham sido usadas para cortar carne crua, sem lavar muito bem. Se puder, tenha tábuas de corte separadas para alimentos crus e cozidos.

Impedir o contato direto ou indireto entre os alimentos crus com os já cozidos, durante a manipulação, é uma das Regras de Ouro da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre a preparação inócua dos alimentos.



Limpeza de hortaliças e frutas

Hortaliças em geral e frutas podem ser importantes fontes de contaminação entre si, para superfícies e para nossas próprias mãos, por isso, é importante que sejam sempre bem lavadas antes de serem descascadas e cortadas.

Caso contrário, as bactérias da superfície desses alimentos podem ser transferidas para o seu interior.

Assim, as frutas e hortaliças que serão descascadas ou cozidas devem ser lavadas com uma esponja ou escova separada só para esse fim.

Já as que forem ser consumidas cruas e/ou com casca, além de uma lavagem criteriosa, devem ser desinfetadas ou, mais precisamente, sanitizadas.

A sanitização é um conjunto de operações de natureza física e/ou química com o objetivo de reduzir a um nível seguro a contaminação por micro-organismos em alimentos e superfícies (instalações, equipamentos e utensílios).



Sanitização dos alimentos

Assim, as frutas que serão consumidas com casca e as hortaliças que serão consumidas cruas precisam passar também pela etapa da sanitização.

Para a sanitização de hortaliças folhosas, primeiramente, devemos descartar as folhas murchas ou queimadas.

Em seguida, as folhas que serão consumidas deverão ser lavadas em água corrente uma a umaDepois, deverão ser mergulhadas durante 15 minutos em solução sanitizante a base de cloro.

Você encontra sanitizantes a base de cloro, próprios para serem utilizados em alimentos, em supermercados na parte que vende hortifruti. Utilize-os conforme as instruções dos fabricantes.

Mas a solução sanitizante também pode ser preparada a partir da água sanitária, desde que na embalagem haja menção de que pode ser utilizada em alimentos.

Os produtos que não contêm essa inscrição podem ter componentes nocivos à saúde e por isso, não devem ser utilizados para esse fim.

Após a sanitização o alimento deve ser enxaguado para a retirada do excesso de cloro.

Folhas podem ser centrifugadas em secadores de folhas de alimentos (aqui tem) e depois consumidas ou acondicionadas em recipientes limpos com tampa, sob refrigeração.



Como usar a água sanitária na sanitização de alimentos

Para o uso de água sanitária a dosagem recomendada é de 20 ml (2 colheres de sopa) para cada litro de água, no caso do produto conter 1% de cloro ativo em sua composição, e 10 ml (1 colher de sopa) para cada litro de água no caso de 2% ou 2,5% de cloro.

Outras formas de evitar a contaminação cruzada

Sempre armazene alimentos crus longe dos alimentos já cozidos ou prontos para o consumo.

Muita atenção ao descongelar carnes, pescados e aves na geladeira. Coloque-os sempre nas prateleiras inferiores do refrigerador e em recipientes que impeçam que o líquido do degelo venha a atingir outros alimentos.

Use utensílios separados para mexer cada panela. Se você tem poucos utensílios, lave-os em água e sabão a cada vez que terminar de mexer o alimento.

Evite secar as louças com panos. O ideal é deixar que escorram e sequem naturalmente no escorredor. Panos de cozinha são os reis da contaminação!

Ao final do preparo dos alimentos limpe e desinfete a pia e a esponja.



Como limpar e sanitizar a pia da cozinha

Limpeza da pia de cozinha

Após lavar a pia com água e detergente, aplique a solução de água sanitária ou cândida.

Preparo da solução: misture 1 colher de sopa de água sanitária para cada 1 litro de água.

Essa desinfecção pode ser feita por aspersão (coloque em um borrifador exclusivo para essa solução e identifique com uma etiqueta) ou mesmo despejando a solução sobre a pia. Deixe agir por 10 minutos.

Depois seque bem com o auxílio de um rodinho de pia. Não é preciso enxaguar.



Como desinfetar a esponja da pia

Pesquisas indicam que a esponja de pia está em geral mais contaminada que o vaso sanitário! Isso mesmo que você leu, eca!

Assim, o recomendável é trocá-la frequentemente e desinfetá-la todos os dias. Existem 4 formas:

Como evitar a contaminação cruzada: desenfete a esponja no microondas.

  • Coloque a esponja úmida no micro-ondas e ligue na potência alta por 1 a 2 minutos (dependendo da potência do seu aparelho). Deixe esfriar para depois espremê-la e deixá-la secar. Não use o micro-ondas se a esponja tiver partes metálicas.
  • Deixe a esponja de molho por 15 minutos na mesma solução preparada para desinfetar a pia. Esprema e deixe secar naturalmente.
  • Ferva-a por 5 minutos. Deixe esfriar, esprema e deixe secar naturalmente.
  • Coloque a esponja na máquina de lavar para ser lavada juntamente com as louças. Deixe esfriar, esprema e deixe secar naturalmente.



Outro tipo de contaminação cruzada

Existe ainda outro tipo de contaminação cruzada. É aquela que acontece quando traços (resíduos microscópicos) de alimentos, como glúten e proteínas do leite, por exemplo, permanecem em utensílios que depois serão usados para preparar e consumir outros alimentos.

Essa contaminação cruzada é particularmente perigosa para doentes celíacos e pessoas com alergia as proteínas do leite.

Então, nesses casos, é mais seguro que essas pessoas tenham utensílios exclusivos.

4 comentários em “Evite a contaminação cruzada na sua cozinha”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima