Contaminação cruzada

Evite a contaminação cruzada na sua cozinha

Compartilhe!

Você já ouviu falar em contaminação cruzada? Em termos gerais, trata-te da transferência de germes prejudiciais para os alimentos. Isso pode ser a causa de várias doenças, algumas bem graves e até fatais, especialmente para crianças. Mas a boa notícia é que é possível prevenir, basta tomar alguns cuidados. Aprenda a forma correta de manipular os alimentos na sua cozinha. Cuide da sua saúde e da sua família! Leia o post a seguir para saber como fazer.



O que é contaminação

Primeiramente, é importante definir o que é a contaminação. Contaminação é a presença de todo e qualquer objeto, substância ou organismo indesejável no alimento. Existem dois tipos de contaminação: a visível e a invisível.

A contaminação visível é aquela que pode ser facilmente observada. Como, por exemplo, fios de cabelo, terra, insetos, lascas etc., que eventualmente, tenham caído nos alimentos.

Já a invisível é causada por micro-organismos ou substâncias químicas. Este tipo de contaminação não é observável a olho nu. São exemplos bactérias, vírus, agrotóxicos, desinfetantes e metais pesados.

Bactérias
Imagem de bactérias.



Nem todos os micro-organismos são prejudiciais

Os micro-organismos estão em toda parte. No ar, na água, no solo, nos seres humanos, nos animais, nos utensílios e nas superfícies em geral. Também estão nos próprios alimentos, principalmente os crus. 

Os micro-organismos que são nocivos são chamados de patogênicos. Estes podem ser extremamente perigosos para a saúde causando várias doenças e até mesmo a morte.

As DTAs (Doenças Transmitidas por Alimentos) podem ser resultado direto da presença desses micro-organismos patogênicos. Ou das toxinas produzidas por alguns deles.

O nível a partir do qual aparecem os sintomas (vômitos, diarreia, febre, dor de cabeça etc.) e a gravidade da doença, entretanto, varia de pessoa para pessoa. Depende da idade, do estado de saúde e de um número variado de outros fatores.

Mas é importante dizer que nem todos os micro-organismos são nocivos para a saúde. Existem muitos que são benéficos. Alguns são indispensáveis para a produção de alimentos muito apreciados. Assim, iogurte, cerveja, vinho, certos tipos de queijo etc. são obtidos graças aos micro-organismos.



Qual a importância do cozimento

O cozimento além de conferir sabor e amaciar os alimentos, também destrói a maioria dos micro-organismos, inclusive os patogênicos. Por isso, é um meio de conservação muito eficiente.

Mas o calor não destrói muitas das toxinas já produzidas pelos micro-organismos nos alimentos. Assim, é importante ter também outros cuidados.

E, como muitos alimentos são consumidos crus, é importante adotar boas práticas de higiene na manipulação dos alimentos em geral.



O que é contaminação cruzada

Contaminação cruzada é a transferência de micro-organismos patogênicos para o alimento. Pode ser direta ou indireta.

A contaminação cruzada é direta quando um alimento transmite os germes para outro.

Já a contaminação cruzada indireta ocorre no contato do alimento com superfícies contaminadas. Essas superfícies podem ser utensílios de cozinha, pia e geladeira ou mesmo nossas próprias mãos.

E basta um mínimo contato para que ocorra a contaminação. Assim, ela pode ocorrer na nossa cozinha a qualquer momento. Por isso, precisamos estar sempre atentas.

Como evitar a contaminação cruzada

Você evita a contaminação cruzada através de algumas práticas de higiene específicas.

Verduras, legumes e frutas não lavados, assim como as carnes cruas, apresentam grande quantidade de germes causadores de doenças. Por isso, manipule-os da forma correta, para que não contaminem outros alimentos.



Assim, nunca use os mesmos utensílios, como faca e tábuasem lavar, para manipular alimentos crus e depois os cozidosAtenção principalmente em churrascos. Use sempre tábuas, facas e pratos separados para a carne crua e já assada.

Da mesma forma, não corte vegetais, nas tábuas que já tenham sido usadas para cortar carne crua, sem lavar muito bem. Se puder, tenha tábuas de corte separadas (ver post) para alimentos crus e cozidos.

Impedir o contato direto ou indireto entre os alimentos crus com os já cozidos, durante a manipulação, é uma das Regras de Ouro da OMS (Organização Mundial da Saúde).



Lavar bem as mãos é indispensável

As mãos são um importante veículo de contaminação dos alimentos. Assim, evite a contaminação cruzada através das mãos sujas. Lave bem as mãos antes, mas também durante a manipulação dos alimentos.

Portanto, lave bem as mãos sempre depois de manusear alimentos crus. Esses podem ser carnes, pescados, ovos, hortaliças e frutas.

Como fazer a limpeza de hortaliças e frutas

Como já mencionei, hortaliças e frutas podem ser importantes fontes de contaminação. Por isso, é importante que você sempre lave-as bem antes de descasca-las ou cortá-las. Caso contrário, os germes da superfície desses alimentos serão transferidas para o seu interior. E, também, para os utensílios utilizados e para suas mãos.

Para a limpeza das hortaliças folhosas, primeiramente, descarte as folhas murchas ou queimadas. Em seguida, lave-as em água corrente, uma a uma.

Já os vegetaislave-os com uma esponja ou escova (link) separada só para esse fim. 

Se for consumir cru ou com casca, entretanto, além de uma lavagem criteriosa, desinfete os alimentos. Ou, mais precisamente, faça a sanitização.

A sanitização visa reduzir ao máximo a carga microbiana em alimentos e superfícies (instalações, equipamentos e utensílios). No próximo item explico como fazer.



Como sanitizar os alimentos

Com as hortaliças e frutas já lavadas, agora é a hora da sanitização. Para isso, mergulhe-as durante 15 minutos em solução sanitizante a base de cloro.

Você encontra sanitizantes a base de cloro, próprios para uso em alimentos, nos supermercados. Utilize-os conforme as instruções dos fabricantes.

Ou prepare sua própria solução sanitizante, a partir da água sanitária ou cândida. Tem explicação de como fazer no próximo tópico. Mas só utilize a água sanitária própria para uso em alimentos.

Após a sanitização o alimento deve ser enxaguado para a retirada do excesso de cloro. Daí é só deixar escorrer para consumir ou guardar para usar depois.

Até o consumo, entretanto, mantenha os alimentos já higienizados em recipientes limpos com tampa. Evite, contudo, os potes de plástico, devido ao risco do bisfenol A. E, guarde de preferência, na geladeira.

Folhas podem ser centrifugadas em secadores de folhas de alimentos (aqui tem). Assim ficam bem sequinhas e precisam de menos molho para temperá-las. Por estarem bem secas também, vão durar mais na geladeira.

Como preparar a solução sanitizante para usar em alimentos

Para o uso de água sanitária ou cândida, a dosagem recomendada é de 20 ml (2 colheres de sopa) para cada litro de água. Isso se o produto contiver 1% de cloro ativo em sua composição.

Caso tenha de 2% ou 2,5% de cloro ativo, use 10 ml de cândida para cada litro de água, ou seja, 1 colher de sopa.

Para saber qual o percentual de cloro na água sanitária, leia o rótuloAlgumas já contam com a informação de preparo da solução sanitizante na própria embalagem. Sempre siga as instruções do fabricante do produto. 



Outras formas de evitar a contaminação cruzada

Para evitar tanto a contaminação cruzada direta quanto a indireta é importante que você siga alguns cuidados.

Assim, muita atenção ao descongelar carnes, pescados e aves na geladeira. Coloque-os sempre nas prateleiras inferiores do refrigerador. E em recipientes que impeçam que o líquido do descongelamento venha a atingir outros alimentos.

Mantenha as alimentos sempre cobertos na sua geladeira. Isso evita que sejam contaminados por outros.

Use utensílios separados para mexer cada panela. Se você tem poucos utensílios, lave-os em água e sabão a cada vez que terminar de mexer o alimento.

Evite secar as louças com panos. O ideal é deixar que escorram e sequem naturalmente no escorredor. Panos de cozinha são sempre os reis da contaminação!

Ao final do preparo dos alimentos limpe e desinfete sua pia e a esponja.



Como limpar e sanitizar a pia da cozinha

Limpeza da pia de cozinha

Após lavar a pia com água e detergente, aplique uma solução de água sanitária ou cândida para desinfetar. Ou então utilize solução de álcool a 70%. Eu, particularmente, prefiro utilizar o álcool, pois a solução de água sanitária pode acabar manchando a roupa. Recomendo que você faça essa desinfecção por aspersão. Para isso, coloque em um borrifador (link), exclusivo para esse fim, e identifique-o com uma etiqueta.

No caso de usar a solução de água sanitária, deixe agir por 10 minutos. Depois, seque com o auxílio de um rodinho de pia. Não é preciso enxaguar. Se for utilizar solução de álcool, deixe que ela secará sozinha.

Preparo da solução sanitizante para pia: misture 1 colher de sopa de água sanitária para cada 1 litro de água.



Como desinfetar a esponja da pia

Pesquisas indicam que a esponja de pia está em geral mais contaminada que o vaso sanitário! Isso mesmo que você leu, eca! Isso porque está constantemente úmida. E os micro-organismos precisam de água para se multiplicarem. Assim, o recomendável é desinfetá-la todos os dias. Para isso existem 4 formas:

No micro-ondas

Como evitar a contaminação cruzada: desenfete a esponja no microondas.

Coloque a esponja úmida no micro-ondas. Ligue na potência alta por 1 a 2 minutos, dependendo da potência do seu aparelho. Mas cuidado para não se queimar quando for retirá-la.

Não use o micro-ondas, contudo, caso a esponja tenha partes metálicas.



Desinfeção da esponja em solução sanitizante

Deixe a esponja de molho por 15 minutos na mesma solução de água sanitária usada para desinfetar a pia. Não precisa enxaguar. Depois esprema bem e deixe secar naturalmente.

Por fervura

Ferva a esponja com água por 5 minutos. Aguarde que esfrie, esprema bem e deixe-a secar naturalmente.

Na máquina de lavar louças

Coloque a esponja na lava-louças para ser lavada, juntamente com os outros utensílios de cozinha. Deixe esfriar, depois esprema e deixe secar naturalmente.



Outro tipo de contaminação cruzada

Existe ainda outro tipo de contaminação cruzada. É aquela que acontece quando traços (resíduos microscópicos) de alimentos, como glúten e proteínas do leite, por exemplo, permanecem em utensílios, mesmo depois de lavados. Esses resíduos acabam contaminando os próximos alimentos que entrarem em contato.

Essa contaminação cruzada é particularmente perigosa para doentes celíacos e outras pessoas com alergias alimentares, como a proteínas do leite. Isso porque, nesses casos, os sintomas são desencadeados mesmo com a mínima exposição.

Então, nesses casos, é sempre mais seguro que essas pessoas alérgicas tenham utensílios exclusivos.

Enfim, gostou desse conteúdo? Achou útil e esclarecedor? Ficou com alguma dúvida? Comente! Adoro conhecer a sua opinião.



4 comentários em “Evite a contaminação cruzada na sua cozinha”

Deixe uma resposta

Rolar para cima