fbpx

Você já ouviu falar em protetor solar oral?

Nossa, como o tempo está voando! Já entramos no mês de outubro e as temperaturas começaram a subir. Logo vamos ter piscina, praia, passeios ao ar livre e muita exposição aos raios solares. Todos sabem da importância da aplicação do protetor solar para defender a pele da radiação solar como forma evitar o câncer e o envelhecimento precoce. Mas você sabia que a proteção solar também pode vir de dentro para fora? Não! Então, continue a ler esse post que eu te conto do protetor solar oral.


Tipos de radiação solar

Os raios ultravioletas (UV) são os raios de luz emitidos pelo sol e que são invisíveis aos nossos olhos. Existem três tipos de raios solares, os UVA, os UVB e os raios solares infravermelhos, que produzem diferentes resultados na nossa pele.

Protetor solar oralOs raios solares UVB atingem apenas a camada superficial da pele (a epiderme), e são responsáveis por causar vermelhidão e o câncer de pele. Representam apenas 5% dos raios ultravioleta que atingem a Terra. Mudam de intensidade conforme a estação e a altitude, ficando mais fortes no verão, especialmente entre as 10h e as 15 h.

Já os raios solares UVA representam 95% dos raios ultravioleta que atingem a superfície do nosso planeta. Não costumam ter sua intensidade alterada conforme a época do ano ou a altitude da região. Agem mesmo nos dias nublados e atravessam o vidro e os tecidos das roupas e dos guarda-sóis. Eles têm a capacidade de atingir as camadas mais intermediárias da pele (a derme), são indolores e responsáveis pelo bronzeamento e por causar danos irreversíveis na pele. São os principais produtores de radicais livres, podendo alterar as células a longo prazo e desencadear o fotoenvelhecimento, modificando a orientação das fibras de colágeno e elastina, provocando o relaxamento e a perda de firmeza da pele e o aparecimento precoce de rugas. Causam também as manchas e alergias solares.

Existem ainda os raios infravermelhos que são responsáveis pela sensação de calor, mas que também são responsáveis pelo envelhecimento. Têm a capacidade de atingirem a camada mais profunda da pele, a hipoderme.



Como proteger a pele de fora para dentro

Para proteger a pele dos raios solares do tipo UVB podemos usar os protetores solares com FPS (fator de proteção solar). Por exemplo, se a pessoa demora 3 minutos para começar a se queimar quando exposta ao sol sem proteção, usando um protetor solar com FPS 30, ela demorará 30 vezes, ou seja, 90 minutos para começar a se queimar. Isso desde que se aplique uma quantidade adequada do produto e fique atenta as reaplicações periódicas, principalmente após entrar na água e se suar muito.

Como forma de proteção para os raios solares do tipo UVA, o ideal é usar protetores solares de amplo espectro, ou seja, que também tenham proteção UVA, que deve ser no mínimo 1/3 do valor do FPS.

Outras medidas de proteção da pele de fora para dentro são: usar roupas com FPS, evitar se expor ao sol nos horários críticos, usar chapéu de abas largas e óculos de sol.




Protetor solar oral: proteção de dentro para fora

A radiação solar age em todas as camadas da pele levando o organismo a produzir altas quantidades de radicais livres. Como a proteção através dos protetores solares exige reaplicações constantes e atenção nas quantidades, é certo que em algum momento vamos vacilar. Por isso, a importância de garantir uma proteção extra, de dentro para fora. Como?! Através do consumo de um protetor solar oral.

Protetor solar oral são todos os alimentos ricos em antioxidantes. Mais uma vez vemos a importância de uma boa nutrição, que irá desempenhar papel decisivo para a saúde da nossa pele.

O antídoto perfeito para a grande produção de radicais livres provenientes da exposição aos raios ultravioleta do sol são os antioxidantes (veja post). Assim, os antioxidantes presentes nos alimentos e suplementos atuam como verdadeiros protetores solares, só que tomados por via oral.

A ação antioxidante da vitaminas C, dos tocoferois, dos carotenoides, dos flavonoides, além de outros compostos bioativos têm demonstrado resultados positivos como agentes fotoprotetores nas pesquisas.

A vitamina C ou ácido ascórbico é um dos antioxidantes mais importantes, pois faz parte das enzimas que estabilizam o colágeno, importante para garantir a aparência de uma pele jovem. A vitamina C é encontrada em grandes quantidades nas frutas cítricas como acerola, laranja, limão e tangerina, no morango, na goiaba, nos pimentões amarelos e vermelhos, na couve, no brócolis, entre outros alimentos.

Se você quer manter uma aparência jovem por mais tempo, consuma alimentos ricos em vitamina C diariamente.

A vitamina E é um tocoferol encontrado em grandes quantidades nos óleos vegetais (de girassol, de canola, de amendoim, de coco etc.), no gérmen de trigo, nas oleaginosas como castanhas, nozes, amêndoas, nos vegetais verdes-escuros, no abacate, nos cereais integrais etc.

Por isso, mesmo que você esteja fazendo uma restrição alimentar com o objetivo de emagrecer, não abra mão das gorduras boas encontradas nos alimentos que eu listei acima. A vitamina E atua na prevenção das doenças crônicas não transmissíveis, na estimulação do sistema imune e na modulação dos processos degenerativos relacionados ao envelhecimento.

Cenoura, abóbora, mamão, damasco e manga são exemplos de alimentos ricos em betacaroteno, carotenoide precursor da vitamina A. O betacaroteno, que é encontrado nos vegetais na forma dos pigmentos amarelos alaranjados. Devido à semelhança entre a sua estrutura química e da vitamina A, podem ser convertidos nas formas ativas da vitamina no fígado.

As hortaliças verde-escuras, como couve, brócolis, espinafre, rúcula também são ricas em betacaroteno. A clorofila, pigmento verde presente nesses vegetais, mascara o betacaroteno, mas ele está lá.

A luteína é outro carotenoide com efeito antioxidante. É encontrada principalmente nas hortaliças verde-escuras, nas ervilhas, na abobrinha, no milho, nos ovos e nas frutas cítricas.

Mas os carotenoides para serem absorvidos no intestino delgado necessitam da presença de gordura. Então, mais uma vez chamo atenção para a importância de incluir gorduras boas nas suas preparações. Sem a presença da gordura todos os carotenoides presentes nos alimentos serão desperdiçados, pois não serão absorvidos, inclusive aqueles provenientes dos suplementos alimentares.

 O licopeno, pigmento responsável pela cor vermelha do tomate e da melancia é outro carotenoide que atua como destruidor ou neutralizador dos radicais livres. No caso do tomate e seus derivados a recomendação é consumir esses alimentos cozidos e preparados com gordura, de modo que o licopeno se torne mais biodisponível.



Os flavonoides atuam como sequestradores de radicais livres e quelantes de metais.  Os radicais livres são capazes de causar a peroxidação dos lipídios como aqueles presentes na membrana das nossas células, atrapalhando o seu funcionamento. Estão presentes nos chás preto e verde, assim como nos de camomila e boldo e na erva mate. Também são encontrados em frutas como acerola, pitanga, morango e maçã e nas hortaliças como couve, almeirão, rúcula e salsa. Outro alimento rico em flavonoides é a cebola, principalmente a roxa.
Para que servem os antioxidantesExistem muitos outros antioxidantes (ver post aqui) que são encontrados em outros alimentos. Daí a importância de uma alimentação bem variada e colorida. Assim você estará oferecendo ao seu organismo uma gama bem ampla de nutrientes e compostos bioativos que vão agir em todo organismo nutrindo e ajudando no processo natural de desintoxicação.
Você encontra no mercado vários suplementos contendo antioxidantes para serem usados na fotoproteção oral. Recomendo a visita a um dermatologista ou a um nutricionista que saberá prescrever o melhor produto, se necessário. Mas uma alimentação balanceada, rica em vegetais e frutas, é sempre melhor e mais barata que qualquer suplemento. Eu sempre compro meus suplementos antioxidantes em cápsulas aqui, aqui ou aqui.

Contudo, é importante destacar que o consumo das referidas substâncias, seja na forma de alimento ou mesmo de suplemento, não substitui o uso dos protetores solares de uso tópico, uma vez que as substâncias antioxidantes não tem a capacidade de impedir a penetração dos raios ultravioleta na pele. O ideal é unir todas as medidas de fotoproteção para resguardar o organismo da ação prejudicial dos raios solares.

Mas o sol também é vida e é importantíssimo para a produção de vitamina D pelo nosso corpo, desde que a exposição seja feita com cautela. Esse será assunto de um próximo post. Aguardem!

Se você gostou do post sobre protetor solar oral? Então, curta e compartilhe nas suas redes sociais. Para esclarecer qualquer dúvida ou fazer um comentário use a área no cabeçalho do post.

Siga o Almanaque da Mulher no Instagram e no Facebook! 😉



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *