fbpx

Quinoa: vale a pena pagar o custo elevado desse pseudocereal?

A quinoa, nativa da Cordilheira dos Andes, cujo nome significa “grão materno”,  é conhecida como um pseudocereal, graças ao seu perfil de nutrientes e por poder ser cozida e degustada como um grão. Comparando, entretanto, seu custo com o de um cereal verdadeiro como o arroz, por exemplo, a quinoa tem um preço muito mais elevado. Mas será que compensa pagar tão mais caro por esse alimento? Veja a resposta para essa pergunta e muito mais lendo o post a seguir.


Composição química da quinoa

Conteúdo de macronutrientes desse grão

A quinoa, assim como o arroz, o milho e o trigo, é um grão riquíssimo em amido, um carboidrato.

Mas a quinoa em relação aos cereais tem a vantagem de ter um teor de proteína muito mais elevado. Além disso, possui uma boa quantidade de aminoácidos essenciais ao organismo, especialmente a lisina, enquanto o arroz é pobre. Contém também outros aminoácidos como isoleucina, treonina e metionina.

Outra vantagem da quinoa sobre os cereais, mesmo os integrais, é que diferente deles, ela pode ser considerada uma fonte importante de fibras. Os cereais integrais têm fibras, mas a quantidade é pequena comparada a da quinoa. Você precisa, portanto, consumir muito mais cereais para conseguir a mesma quantidade de fibras desse pseudocereal. O problema disso é que junto com as fibras você estará consumindo muito mais carboidratos e consequentemente calorias.

A quinoa não possui glúten, proteína encontrada apenas nos grãos e produtos derivados do trigo, cevada, centeio e aveia. E o glúten pode ser um problema para pessoas alérgicas ou mesmo sensíveis a essa proteína. Sendo assim, é mais uma opção de alimento para esses indivíduos.

A quinoa também têm gordura em sua composição, mas do tipo que faz bem, sendo indispensável para uma boa saúde. Essa gordura é rica em ácidos graxos essenciais e fosfolipídios, componentes indispensáveis para a formação de hormônios e membranas celulares.

Cada 45 g de quinoa (ou 1/4 de xícara de chá) fornece 31 g de carboidratos (amido), sendo 2,7 g de fibras, 6 g de proteína e 2,6 g de gorduras.



Micronutrientes da quinoa

Os micronutrientes são elementos que não fornecem calorias, mas que são indispensáveis para a bom funcionamento do organismo e prevenção de doenças carenciais. São micronutrientes as vitaminas e os sais minerais.

A quinoa também pode ser considerada rica em ferro, cobre, magnésio e manganês, além de ser fonte de fósforo e zinco.

Em relação as vitaminas contém mais riboflavina (B2) e α-tocoferol (vitamina E) do que o arroz, a cevada e o trigo. É boa fonte de tiamina (B1), ácido fólico e até de vitamina C.

Existem 3 tipos de quinoa: a branca, a vermelha e a preta. Os teores de micronutrientes entre essas variedades apresenta pequenas diferenças, sendo a vermelha e a preta um pouco mais nutritivas que a branca por possuírem mais substâncias antioxidantes, responsáveis por sua coloração mais intensa. Para ler sobre a importância dos antioxidantes na alimentação clique aqui.



Como preparar da quinoa

Pré-preparo

O cozimento da quinoa é exatamente igual ao do arroz, mas ela necessita de um pré-preparo. Pré-preparo são as etapas de manipulação dos alimentos que devem acontecer antes do cozimento propriamente dito.

Os grãozinhos de quinoa são recobertos por uma substância denominada saponina, que é considerada um fator antinutricional, uma vez que age sobre as mucosas do trato digestório, irritando esses tecidos, atrapalhando a absorção dos nutrientes.

O nome dessa substância se originou mesmo da palavra “sabão”, pois apresenta propriedades detergentes e surfactantes. por isso, quando os grãos de quinoa entram em contato com a água são formadas espumas.

A saponina é a responsável pelo sabor amargo que muitas pessoas sentem ao consumir esse grão. Ela é naturalmente produzida pela planta com o objetivo de defesa contra o ataque dos insetos, fungos e bactérias.

A saponina pode e deve ser eliminada antes do cozimento.  Para isso basta a quinoa de molho por pelo menos 12 horas em água, de preferência sob refrigeração, especialmente se você morar em lugares quentes, para que não ocorra o desenvolvimento de micro-organismos que podem causar doenças. Outros grãos precisam passar por esse processo também, veja neste post aqui.

Antes do cozimento essa água deve ser escorrida com o auxílio de uma peneira de malha fina para não deixar passar os grãozinhos, e deve ser descartada. Nessa água além da solanina estarão também diluídos outros fatores antinutricionais como ácido fítico e oxalatos, que atrapalham a absorção de alguns micronutrientes.



Preparo da quinoa

A quinoa deve ser cozida exatamente da mesma forma que o arroz: para cada medida de quinoa em grãos já bem escorrida, utiliza-se duas medidas de água. Adicione sal e temperos a gosto.

Para dar mais sabor, recomendo primeiro refogar cebola e alho picados em um pouco de azeite. Depois é só acrescentar a quinoa escorrida, a água e o sal e deixar cozinhar em fogo baixo e panela tampada até secar. A quinoa irá dobrar de tamanho. Daí é só consumir ou então usá-la para fazer alguma outra preparação mais elaborada.


Sugestão de preparações com quinoa

Na forma de grãos, após cozida, além de pura, a quinoa pode ser utilizada em diversas receitas como: risotos, hambúrgueres vegetais, saladas e recheios. Também pode ser usada em substituição a sêmola para o preparo de cuscuz salgados, em sopas e no lugar do trigo no tabule.

Salada com quinoa

Em flocos pode ser usada como substituta de flocos de aveia, sobre frutas, em vitaminas e iogurtes.
A farinha de quinoa pode ser usada como base para pães, bolos, biscoitos, massa de panqueca, macarrão, entre outras preparações.
Hamburguer de quinoa

Onde comprar

Hoje você já encontra a quinoa em muitos supermercados e lojas de produtos naturais.

Vale a pena pagar mais pela quinoa?

Apesar de seu elevado custo, a quinoa é um alimento muito mais nutritivo que os cereais, portanto, vale a pena ser incluído na alimentação.

Contudo, não se esqueça, o consumo excessivo até mesmo da quinoa não é recomendável, assim como o de nenhum outro alimento.

Mas o mais importante é sempre buscar a variedade de ingredientes para atingir as recomendações nutricionais dos diversos nutrientes que precisamos ingerir para termos saúde.

Apesar de rica em proteínas, fibras, vitaminas e sais minerais, a quinoa é também rica em carboidratos. Se você está em busca de perda de peso ou é diabético, o consumo desse grão deve ser feito com muita parcimônia e dentro do seu plano nutricional.



Siga o Almanaque da Mulher no Instagram e no Facebook.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *