Vinho tinto ou suco de uva? Qual o melhor?

Compartilhe!

Vinho tinto ou suco de uva? Qual dos dois é melhor para a saúde? Quanto posso consumir de cada um? E quem não pode consumir álcool? Qualquer suco de uva serve? Descubra as respostas para essas e outras perguntas no post a seguir.



Vinho tinto ou suco de uva? Qual o melhor?

O vinho

O vinho é uma bebida proveniente exclusivamente da fermentação alcoólica por leveduras ou bactérias láticas. Esses micro-organismos fermentam os açúcares presentes na uva madura e fresca, ou do seu suco, liberando álcool.

Conhecido desde os primórdios da civilização, o vinho vem sendo usado desde a antiguidade para diversas finalidades. Tanto como alimento, quanto para o tratamento de doenças, passando por cerimônias religiosas e comemorações.

Apresenta grande complexidade química e variedade na sua composição. Os principais constituintes do vinho são:

  • Água
  • Etanol
  • Açúcares
  • Minerais, como potássio, fósforo, magnésio, cálcio, sódio, silício, ferro, manganês, zinco, cobre, níquel, molibdênio, cromo e cobalto
  • Vitaminas como ácido pantotênico, nicotinamida, vitamina B2, B6, biotina e ácido fólico
  • Ácidos orgânicos como lático, tartárico, acético, málico, entre outros
  • Aminas bioativas, tais como histamina, betafeniletilamina e tiramina
  • Polifenóis
  • Pigmentos antioxidantes, como antocianinas
  • E, ainda, traços (quantidades ínfimas) de proteínas

A maioria dos componentes encontrados no vinho provém da polpa da uva. Mas o processo fermentativo, assim como a casca e as sementes, também fornecem as substâncias que o diferencia das outras bebidas alcoólicas.

Você pode encontrar o vinho em 3 formas principais: branco, rose ou tinto.



O vinho tinto

Vinho tinto e uvas

O vinho tinto, ao contrário do vinho branco, é feito não só com a polpa da uva, mas também com a casca. Alguns tipos, usam também as sementes. A casca é a responsável por sua coloração.

Pesquisas têm comprovado que o vinho tinto é uma bebida que oferece vários benefícios para a saúde. Mas de onde vem, na verdade, as vantagens desse produto?

Bem, provavelmente, você já deve ter ouvido falar que beber uma taça de vinho por dia faz bem ao coração. E isso está correto. O vinho tinto é rico nos chamados compostos fenólicos ou polifenóis, os principais responsáveis por seus benefícios para a saúde.



Os polifenóis

Os polifenóis são subdivididos em duas categorias. A primeira, chamada não-flavonóide, inclui o resveratrol e os taninos. Já a segunda, denominada flavonóide, é representada pela quercetina e pela catequina.

O polifenóis são compostos derivados da casca da uva, mas também das sementes.

Durante a fermentação das uvas roxas para a fabricação do vinho, o açúcar da fruta é transformado em etanol. Esse álcool liberado, ajuda a extrair ainda maior quantidade desses polifenóis.

Os polifenóis têm uma potente atividade antioxidante, além de serem anti-inflamatórios



Ação dos antioxidantes do vinho tinto

Os antioxidantes presentes no vinho tinto atuam na prevenção da aterosclerose. Ou seja, evitam a oxidação do chamado mau colesterol (LDL), que leva à formação de placas de aterosclerose nas paredes das artérias. Dessa forma, melhoram a função das vasos sanguíneos.

Além disso, os polifenóis também reduzem a agregação das plaquetas. Isso evita a formação de trombos, que podem levar a isquemia, por impedirem a circulação.

Também promove a produção de óxido nítrico, substância que induz a vasodilatação, evitando, assim a hipertensão arterial.

Os antioxidantes do vinho tinto também atuam contra os radicais livres e as inflamações. Ainda combatem alergias, úlceras, viroses, tumores e as toxinas no fígado.



Vinho branco x tinto

Apesar de delicioso e muito refrescante, o vinho branco não oferece os mesmos benefícios do que o tinto. Isso porque os compostos fenólicos, responsáveis por ação benéfica ao coração, estão mais presentes nas cascas das uvas rosadas e escuras. Essas, por sua vez, não são utilizadas para a produção do tipo branco. Assim a quantidade de polifenóis no vinho tinto é da ordem de 1.000- 4.000 mg/L, enquanto no vinho branco é de 200-300 mg/L.

Em questão de teor alcoólico, entretanto, o vinho branco tem um pouco menos de álcool do que o tipo tinto. O primeiro apresenta de 11% a 12%, enquanto o tinto de 12% a 13% de álcool.

E quanto ao valor calórico, os brancos oferecem um pouco menos de calorias. Vinhos tintos fornecem 86 Kcal a cada 100 ml, enquanto os vinhos brancos 79 Kcal.



E o suco de uva?

Vinho tinto ou suco de uva

Tipos de suco de uva

Existem vários tipos de suco de uva no mercado, mas nem todos oferecem os mesmos benefícios.

Há o suco desidratado ou refresco em pó. Esse contém apenas 1% da polpa da fruta em sua composição. O restante é açúcar, corantes e até sódio.

Existe também o chamado néctar de fruta, que contém de 20% e 50% de polpa. O restante do conteúdo, portanto, é composto por água e aditivos, como conservantes e corantes.

E, finalmente, há o suco de uva integral. Esse é produzido apenas pelo esmagamento das frutinhas, não podendo ser acrescido de nada, nem água, muito menos açúcar.



Benefícios do suco de uva integral

Assim como o vinho tinto, o suco de uva integral é rico em antioxidantes, pois os compostos fenólicos presentes na casca das uvas de cor escura, também passam para o suco.

Por muito tempo, os especialistas pensavam que os benefícios dos polifenóis não se estendiam à bebida da uva sem álcool. Isso porque na produção do suco, além das uvas passarem por um processo de aquecimento, a maceração para a liberação do sumo era mais suave, para evitar o resíduo amargo.

Pesquisas mais recentes, porém, indicam que os compostos fenólicos também estão presentes, e em grande quantidade, no suco de uva integral.

Para obter os benefícios para a saúde fica, portanto, ao seu critério escolher consumir qualquer um deles.

O suco de uva, contudo, por não conter álcool é o mais democrático. Afinal, pode ser consumido por adultos que vão dirigir e também por crianças e adolescentes, assim como por pacientes com câncer.



O problema do álcool presente no vinho

O paciente oncológico deve restringir o consumo de bebidas alcoólicas, pois o álcool, assim como os quimioterápicos, também é metabolizado no fígado. E isso pode prejudicar a ação desses medicamentos, bem como causar toxicidade, devido à interação entre os dois. Mas o suco de uva integral substitui o vinho tinto com todas as propriedades benéficas.

Vale também lembrar que o consumo excessivo de álcool prejudica o metabolismo da glicose, aumentando o acúmulo de gordura no abdome, elevando a pressão arterial e os triglicerídeos.



Serve qualquer suco de uva?

Não, apenas o suco de uva integral fornece todos os benefícios ao organismo. Portanto, para ter certeza que você está comprando o produto certo, tem que ler a lista de ingredientes na embalagem.

Ou seja, suco de uva bom é aquele puro, ou seja, sem adição de água, açúcar ou corantes, e de preferência, orgânico. Assim, a lista de ingredientes deve conter apenas uvas.

Já foi comprovado em pesquisas que os sucos orgânicos apresentaram maior quantidade de compostos fenólicos, antocianinas e resveratrol, que os sucos de cultivo convencional.

Os néctares de uva, comumente encontrados nos supermercados, por serem adicionados de água, açúcar e corantes, tem baixíssima quantidade de compostos fenólicos. Por isso, são bem pouco eficazes.



Vinho tinto ou suco de uva: quanto consumir?

Suco de uva

Mesmo os sucos de uva integrais devem ser consumidos com moderação, no máximo 1 copo por dia, pois são bastante calóricos. Afinal, 1 copo de 200 ml tem cerca de 120 kcal. É só imaginar quantas uvas são necessárias para produzir um copo de suco de uva integral!

Mas, para evitar exageros, principalmente em caso de sobrepeso ou obesidade, é sempre mais recomendável consumir a fruta do que o suco. A recomendação é um cacho pequeno, de 100 g aproximadamente, por dia. Mas consuma também a casca.

A diferença entre a fruta e o suco, é que na bebida há uma concentração maior desses compostos bioativos em uma pequena porção. Porém, junto com esses benefícios, os sucos concentrados também são riquíssimos em carboidratos de alto índice glicêmico como a frutose.

Suco de uva ou vinho tinto? Qual o melhor para a saúde?

Se você está fazendo dieta para emagrecer ou é diabético não deve tomar esse suco com frequência.

Pacientes com gordura no fígado (esteatose hepática) também devem ficar longe de alimentos ricos em frutose, como os sucos de fruta, pois esse açúcar também é metabolizado nesse órgão.

Enfim, a quantidade recomendada é de até, no máximo, 1 copo de 200 ml suco de uva integral por dia. Mas isso se você não tiver diabetes, fígado gorduroso, triglicerídeos elevados ou problemas com excesso de peso. Nesses casos, o consumo de suco de uva (ou de vinho) deve ser feito sempre com muita parcimônia e de forma eventual. Substitua por sucos de frutas com menos frutose, como limão ou maracujá, mas não adoce com açúcar.

Há quem prefira diluir o suco de uva integral em casa com água. Neste caso, irá render mais e fornecer menos frutose por copo, contudo, também vai ficar menos concentrado em polifenóis. Mas nunca adicione açúcar!



Quanto consumir de vinho tinto

Já para o vinho tinto, recomenda-se o consumo de, no máximo, 2 taças (250 ml) para homens e 1 taça (125 ml) para as mulheres por dia.

Uma taça de vinho tinto tem em média 107 kcal. Novamente, em dietas para emagrecimento e em caso de diabetes o consumo de vinho deve estar balanceado dentro do plano alimentar. Procure um nutricionista para informações individualizadas para você.

Conclusão

Como conclusão, é importante ressaltar que, para se obter todos os benefícios cardiovasculares é importante que o consumo de ambos, vinho tinto ou suco de uva, seja feito com moderação.

Além disso, sempre acompanhe o consumo dessas bebidas com a prática de exercícios físicos. Uma dieta equilibrada também é essencial.

Siga o Almanaque da Mulher no Facebook e no Instagram.


Deixe uma resposta

Rolar para cima