fbpx
Mundo "Psi"

Uma breve explanação sobre o mundo “Psi”

Com o objetivo de fornecer para você um conteúdo cada vez mais diversificado e repleto de informações úteis, convidei a Psicóloga/ Psicanalista Rejane Andreia de Sousa para nos falar sobre as várias denominações das terapias e os benefícios de se procurar ajuda de um profissional.

Rejane é graduada em Psicologia pela Universidade Paulista (UNIP), com Especialização em Psicanálise pelo CENACES (com ênfase em teoria e prática clínica) e formação em: Mediação e Conciliação pela Escola Paulista de Magistratura (EPM), em Autismo e Psicose na Infância e em Terapia de Casal e Família pelo Instituto Sedes Sapientiae (SEDES) e em Artes Cênicas pelo Instituto de Artes e Ciências de São Paulo (INDAC).

A seguir o texto da Rejane:

Uma breve explanação sobre o mundo “Psi”

Frequentemente nos deparamos com queixas como: “Não estou bem, mas não sei o que é…”, “Sinto um aperto no peito, me falta o ar e tenho sofrido de insônia”, “Sou inundado por um sentimento de raiva e irritação”, “Estou sem fome e choro por qualquer motivo.” Esses sintomas podem ser um sinal de alerta, indicativos de um possível desequilíbrio emocional, sinalizando que algo não vai bem. Mas a falta de informação e o preconceito ainda fazem com que a maioria das pessoas sofra sozinha.

Muitas são as barreiras no momento de buscar ajuda especializada. É comum ouvir que “Psiquiatras, Psicólogos e Psicanalistas são para tratar loucos”. A resistência pode se revelar de diferentes formas, seja pela  desqualificação  do profissional ou mesmo por um sentimento de onipotência, de que é difícil um estranho poder compreender e ajudar. Ou ainda, ”o que os outros vão pensar se souberem que faço terapia?”.  Superadas as barreiras, surgem as primeiras dúvidas. Por onde começar? Qual profissional mais indicado?



Profissionais que atuam na área

O termo “PSI” é comumente usado, mas muitas vezes vem acompanhado de confusão no tocante ao significado, especialmente em relação aos profissionais cujas denominações carregam este prefixo: Psicólogo, Psiquiatra e Psicanalista. Podemos mencionar ainda o termo Terapeuta, que contribui para mais confusão ainda!

Psicólogo

Psicólogo é o profissional que possui formação superior em Psicologia (ciência que estuda os processos mentais, os comportamentos, os afetos e emoções).

O curso tem duração de 5 anos, contempla  bacharelado e licenciatura.  No decorrer do curso, o profissional estuda teoria e prática supervisionada que o habilita a atuar na área da saúde (Psicologia Clínica e Hospitalar), na área Organizacional (Empresas), na área Escolar e Social.

O Psicólogo vai à busca de mudar comportamentos, eliminar sintomas e para tal utiliza diferentes técnicas. Entretanto, muitos Psicólogos optam por se especializarem em alguma linha teórica, “filiando-se a diferentes escolas, cada uma com uma particular visão de Homem. Exemplos disso são a Psicanálise, a Fenomenologia, a Terapia Analítica, a Gestalt-Terapia, a Terapia Cognitivo-Comportamental, dentre outras.

Psiquiatra

O psiquiatra é o profissional que, após encerrar a faculdade de Medicina, faz sua especialização em Psiquiatria.

Um Psiquiatra é, portanto, um médico que acompanha de forma detalhada os avanços farmacêuticos a fim de prescrever drogas eficazes com a finalidade de eliminar sintomas. Faz encaminhamentos para internações ou para outras terapias como: terapia ocupacional, terapia de grupo, psicoterapias entre outras.

Alguns destes profissionais apresentam interesse em se especializarem como terapeutas além de médicos e então buscarão formação em Psicanálise ou outra escola.

Mundo "PSI"

Psicanalista

O psicanalista é o profissional com formação em Psicanálise, cujo curso tem duração aproximada de 5 anos. Enfrentará aulas teóricas, análise pessoal e práticas supervisionadas que habilitarão o profissional a oferecer atendimento clinico-terapêutico/análise.

O Psicanalista pode ter feito graduação em Psicologia, Psiquiatria ou qualquer outra área de ensino superior.

Todo Psicanalista trabalha com a noção de Inconsciente e entende os sintomas como soluções para lidar com conflitos inconscientes. Utiliza a técnica de associação livre, método pelo qual o paciente fala sem se preocupar com lógica, sequência ou tempo cronológico. Com este método, pretende deixar emergir os conteúdos latentes do paciente, propiciando assim sua elaboração, reestabelecendo seu equilíbrio emocional.

Assim, como citado acima, a Psicanálise é uma corrente teórica de grande influência, que pode ser adotada como linha de atuação por Psicólogos e Psiquiatras.


Terapeuta

Terapeuta é um termo genérico usado para descrever todo profissional da área da saúde ou não que se dedica a oferecer cura ou ajuda a uma pessoa que esteja passando por sofrimento ou buscando melhoria em sua qualidade de vida.

O termo “Terapia” (do grego: θεραπεία – do verbo therapeúo, “prestar cuidados médicos, tratar”) está ligado à noção de cuidado, ajuda, tratamento. Também usado por Psicólogos e outros profissionais que trabalham com Terapias Alternativas, como Terapia Holística, Aromaterapia, Eutonia, Terapia Corporal, Quiropraxia, entre outras. Para o exercício desta profissão é necessário formação ou especialização.

Consulta de psicólogo

Para que o processo terapêutico de uma pessoa seja bem sucedido, no entanto, não é necessário, à princípio, que ela saiba a qual escola o profissional procurado pertence.

Claro que, se o paciente precisa ser medicado, ele terá que recorrer a um Psiquiatra, o único que pode prescrever qualquer tipo de droga. Mas se a procura for por terapia/análise, não se faz tão importante qual a linha teórica trilhada pelo profissional, salvo casos específicos, com interesses específicos.

Mais importante do que isso é o profissional ter habilidades empáticas, raciocínio clínico para além dos conteúdos manifestos e capacidade de oferecer um espaço “Psi” que promova um encontro com a alteridade.

A primeira entrevista é fundamental para ambos, profissional e paciente, uma vez que já se pode experimentar o que virá depois. A indicação do profissional é de suma importância.

A última questão a ser colocada é que nem tudo que é “terapêutico” pode ser considerado “terapia”. Por exemplo, dançar, praticar esportes, ler ou viajar podem ter efeitos terapêuticos, mas não são considerados terapias!

Qualquer dúvida, entre em contato:

Psicóloga Rejane Andreia de Sousa

Psicóloga/ Psicanalista: Rejane Andreia de Sousa (CRP 06/113034)

Email: [email protected] e [email protected]

Consultório particular: atendimento individual, casal e família.

Fone: (11) 99123-6737

 

Quer ler outro post sobre psicologia, acesse aqui.

Siga o Almanaque da Mulher no Instagram.


10 comentários em “Uma breve explanação sobre o mundo “Psi””

  1. Pingback: Autoestima: fundamentos essenciais da sua construção

  2. Gostei muito do artigo da psicóloga Regiane, muito elucidativo para todos nós!
    Qualquer pessoa, em algum momento da vida, pode precisar usufruir da ajuda de um profissional da psi e evitar transtornos emocionais crônicos para si e para as pessoas que o cercam.
    Silvia Pessoa
    Psicóloga

  3. Muito bom e muito bem abordado pela psicóloga o tema “Psi”. Parabéns a Rejane e a vc Marcinha pelos temas e dicas trazidas em seu blog. Parabens

  4. Uma explicação sintética e clara que pontua o que é estritamente necessário para diferenciar as diversas formas do termo “PSI”.Parabéns Rejane Sousa! !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *