Bonito no Mato Grosso do Sul não é bonito, é lindo!

Compartilhe!

O título do post não é exagero: Bonito no Mato Grosso do Sul não é apenas bonito, é lindo! Lindo demais! Destino maravilhoso para entrar em contato com a natureza, sua flora e fauna majestosas. É um lugar que encanta os olhos, relaxa o corpo e faz bem para a alma, sabe?! Confira no post abaixo várias dicas de viagem para esse lugar imperdível do nosso Brasil.



Bonito no Mato Grosso: informações

Bonito fica localizado na região da Serra da Bodoquena, sudoeste do Estado de Mato Grosso do Sul. O município é vizinho do Pantanal, mas não faz parte dessa grande planície alagável.

A vegetação predominante é o cerrado e o clima apresenta verão chuvoso e inverno seco. No verão as temperaturas chegam fácil aos 30º C. Já a temperatura das águas fica em torno dos 23º C o ano todo.

É considerado um dos melhores destinos de Ecoturismo no Brasil. Lá você vai encontrar grande quantidade de rios de águas cristalinas, cachoeiras, grutas, entre outros atrativos. É, portanto, um lugar imperdível para quem curte contato com a natureza e turismo de aventura.

Os rios surpreendem pela transparência sem igual. Mas a explicação é simples: a região se localiza sobre rochas calcárias. Essas rochas têm ação purificadora, ou seja, filtram constantemente a água, deixando-a sempre cristalina.



Planejando sua viagem para Bonito no Mato Grosso

Para aproveitar bem tudo o que o lugar tem para oferecer recomendo pelo menos 5 dias na cidade.

Melhor época

A melhor época para visitar a cidade é de agosto a outubro, quando as águas ficam mais cristalinas. Em janeiro e fevereiro chove bastante, o que pode turvar a água dos rios.

Como chegar em Bonito no Mato Grosso

De Campo Grande a Bonito são 4 horas de carro ou ônibus.

Assim, para quem vai de avião + translado a dica é marcar o voo da ida com horário de chegada antes de 14:00 horas. Caso contrário, você chegará tarde na cidade e perderá o dia todo.

Da mesma forma, para o voo da volta, tente marcar o horário de partida depois das 14:00 horas. Assim, ainda será possível aproveitar a parte da manhã para algum passeio e você não terá que acordar muito cedo e sair correndo para não perder seu voo.

Algumas operadoras de turismo, contudo, fretam aviões para o aeroporto de Bonito. Mas eu, particularmente, não gosto muito de andar com excursões. Em geral, acho que limita muito.

Opção que dá mais liberdade é alugar um carro. Gosto muito dos serviços da Localiza (link).



Hospedagem

Como dessa vez não alugamos carro, preferimos ficar em um hotel no centro da cidade. Assim, a noite para jantar nos restaurantes, foi bem fácil e conveniente. Chegamos a todos apenas caminhando.

Reservamos o hotel pela Booking (LINK) e foi ótimo. Nesse site você encontra opções para todos os gostos e bolsos.


Passeios

Fiquei muito bem impressionada com a organização e infraestrutura para receber os turistas. Consciência ecológica e preservação fazem parte de todos os passeios oferecidos na cidade e nos arredores.

Assim, para quase todos os lugares é necessário fazer reserva, principalmente na alta temporada. Isso porque  há um limite de pessoas por dia que podem entrar tanto nos rios como nas cavernas. Por isso, vale muito a pena contatar uma agência para resolver tudo isso para você. Nós escolhemos a Bonito Way (link) e fomos muito bem atendidos.

As agências vão ajudar não só na verificação das vagas, como montando toda a logística dos passeios. Daí é só aproveitar. Através da agência, também, reservamos um motorista particular para nos levar até as atrações.

Quanto a alimentação, também está incluída nos passeios. Achei bem gostoso todos os almoços servidos nos parques onde ocorrem as flutuações. Comida simples, mas bem feitinha.



Treino e equipamentos

Todos os equipamentos para as flutuações, como roupa de neoprene, colete de flutuação, botas, máscara e snorkel são fornecido pelos próprios lugares. Achei tudo limpo e muito bem conservado.

Antes de começar cada flutuação, os guias dão dicas e fazem um pequeno treinamento sobre como usar o snorkel. Não é difícil, basta respirar com calma pela boca.

Vale muito a pena também reservar, na própria agência de turismo, uma máquina fotográfica subaquática. Com ela é possível registrar todo o passeio por baixo da água e guardar imagens incríveis.

Quanto a não saber nadar, não se preocupe, pois todas as flutuações contam com o colete salva-vidas. Na verdade esse item é, inclusive, obrigatório para todos, mesmo para quem sabe nadar. O objetivo é proteger a fauna e a flora do fundo dos rios.


Dicas de passeios

Estes foram os passeios que fizemos:

Nascente Azul, flutuação com almoço

O passeio começou com uma caminhada de 40 minutos aproximadamente pela mata ciliar observando a fauna e a flora.

É maravilhoso ver o animal livre no seu habitat. Olha que fofinho!

Ao chegar no rio, nos deparamos com a nascente tem água cristalina. Lá ocorre um fenômeno chamado espelhamento, que faz com que as água fiquem com um tom de azul turquesa sensacional.

Depois de algumas explicações por parte dos guias de turismo, começamos a flutuação.



A flutuação, como o próprio nome já indica, é deixar com que a correnteza do rio nos leve flutuando.

Com o rosto na água, graças ao colete salva-vidas, a máscara e o snorkel, podemos observar ao longo de todo o caminho, os peixes e as plantas subaquáticas. É muito lindo! Uma sensação de relaxamento incrível!

Nascente Azul - Bonito - MS
Nascente Azul, a clareza da água impressiona.
Nascente Azul - Bonito
Cada peixão! E eles vêm bem pertinho.



Nascente Azul - Bonito
Vários cardumes passam por você enquanto você deixa a correnteza do rio te levar. É muito relaxante!



Rio da Prata – flutuação com almoço

Mais ou menos a uns 50 km de Bonito fica o Recanto Ecológico Rio da Prata.

Lá o passeio tem início com uma caminhada de aproximadamente 50 minutos por uma trilha pela mata ciliar. Nessa caminhada também é possível avistar aves e outros animais silvestres.

Depois mergulhamos na nascente do Rio Olho D’Água e fazemos a flutuação. Depois do passeio teve o almoço. Comidinha caseira simples, mas gostosa.

Rio da Prata - Bonito Mato Grosso do Sul.
Delicioso também é só ouvir os barulhinhos da água.
Rio da Prata - Bonito
Imagens feitas com uma câmera que aluguei na mesma agência em que fiz os passeios.



Buraco das Araras

É uma cratera de 120 m de profundidade e 500 m de diâmetro que foi formada por desabamento.

Lá você pode ver diversos pássaros, incluindo araras vermelhas que moram por lá. Já no fundo da cratera moram jacarés de papo amarelo.

Buraco das Araras - Bonito Mato Grosso do Sul.
Buraco das Araras – Bonito.
Buraco das Araras - Bonito Mato Grosso do Sul.
A visualização das araras nem sempre é possível. É bom contar com uma máquina com ótimo zoom.



Buraco das Araras - Bonito Mato Grosso do Sul.
Muito lindas elas! Que cores!
Buraco das Araras - Bonito Mato Grosso do Sul.
Mirante do Buraco das Araras.



Bote no Rio Formoso em Bonito no Mato Grosso

Esse passeio foi realizado em um bote inflável pelo Rio Formoso, um dos principais da região. Foram 6 km passando por 3 corredeiras com uma parada para banho.

Foi bem emocionante e muito engraçado. O pessoal do meu barco ficava jogando água nas pessoas do outro barco e vice-versa. Uma delícia naquele calor. O desembarque foi feito no Eco Park Porto da Ilha.


Parque das Cachoeiras com almoço

O passeio começou com uma caminhada por uma trilha ecológica na mata ciliar do Rio Mimoso, observando a flora e a fauna do local.

Durante o percurso de aproximadamente 1.700 m tomamos banho e contemplamos 7 belíssimas cachoeiras, além de pequenas cavernas e piscinas naturais.

Parque das Cachoeiras - Bonito
No Parque das Cachoeiras.
Parque das Cachoeiras - Bonito Mato Grosso do Sul.
Parque das Cachoeiras, o nome diz tudo.



Gruta do Lago Azul em Bonito no Mato Grosso

Fica a 20 km do centro da cidade. É considerada o cartão postal da cidade. Descoberta por uma nação indígena em 1920, foi declarada patrimônio nacional em 1978.

A gruta é o passeio mais concorrido da cidade, embora exista uma série de restrições para visitá-la.

É preciso descer cuidadosamente os 200 m de uma escadaria cavada na pedra, em grupos de no máximo 15 pessoas. Ao final é possível deslumbrar-se com o lago azul que empresta o nome à gruta, emoldurado por estalagmites e estalactites formadas a milhões de anos.

Em alguns momentos tem-se a impressão de que imensas pedras brancas brotam da superfície do lago, quando na verdade estão a mais de 20 m de profundidade. Isso porque a água é muito límpida!



O espetáculo ainda é mais bonito em dezembro e janeiro, quando um facho de luz do sol incide diretamente sobre o lago, logo nas primeiras horas da manhã.

Nesse passeio é necessário usar um capacete, emprestado lá mesmo. Ah, e não esqueça de levar seu tênis, o uso é obrigatório.



Gruta do Lago Azul - Bonito Mato Grosso do Sul.
Gruta do Lago Azul – o tom de azul é maravilhoso!
Gruta do Lago Azul em Bonito Mato Grosso do Sul.
O que é esse lugar, meu Deus?!



Gruta do Lago Azul - Bonito
Turista paga cada mico! kkkkkkk



Rio Sucuri Flutuação com almoço

Por fim, a última flutuação que fizemos. O passeio começou subindo o Rio Sucuri em um barco a remo, com os guias nos mostrando a fauna e flora local.

Depois, quando chegamos a um ponto pré-determinado, começamos a flutuação. Daí como eu já comentei, é só deixar a correnteza nos levar e ficar observando e fotografando os peixes e a vegetação subaquática. Muito bom!!!

Rio Sucuri em Bonito Mato Grosso do Sul.
Bonito Mato Grosso: olha a cor do Rio Sucuri!
Rio Sucuri em Bonito Mato Grosso do Sul.
Os peixes passam bem pertinho em Bonito Mato Grosso. Estão super acostumados com os turistas.



Rio Sucuri em Bonito Mato Grosso do Sul.
O Rio Sucuri é tão clarinho que dá para fotografar os cardumes do barco.
Rio Sucuri em Bonito Mato Grosso.
Bonito Mato Grosso: as cores da natureza! Perfeição!

Gostei muito dessa viagem e tenho planos de retornar a Bonito para repetir tanto as flutuações, como o passeio pelas cachoeiras. Quero, ainda, fazer outros passeios, como visitar a Gruta de São Miguel.

Enfim, essas são as minhas dicas. Se você for até lá, depois volte aqui e conte como foi.

Veja também o que fazer em Trancoso na Bahia.



4 comentários em “Bonito no Mato Grosso do Sul não é bonito, é lindo!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error:
Rolar para cima