O que é Nutrição Funcional?

Quem já leu a página “sobre mim” aqui no blog sabe que sou formada em Nutrição. Por isso, não é raro receber perguntas nessa área. A que eu tenho mais visto no momento é: o que é nutrição funcional? Para responder a essa pergunta de uma forma mais completa, resolvi escrever esse post.



Nutrição funcional

O que é nutrição funcional?

A nutrição funcional é uma abordagem da ciência nutricional que busca identificar e tratar as causas subjacentes de problemas de saúde, em vez de apenas tratar apenas os sintomas. Essa abordagem considera a individualidade bioquímica e genética de cada pessoa.

Visa promover a saúde e prevenir doenças por meio de uma alimentação saudável e equilibrada, com o possível uso de suplementos nutricionais, modulação do estilo de vida e outras terapias complementares.

A nutrição funcional se concentra em alimentos integrais, que são aqueles que estão em sua forma mais natural e não processada.

Além disso, a dieta funcional pode incluir alimentos orgânicos, alimentos ricos em antioxidantes e alimentos considerados anti-inflamatórios.



As opções do programa de nutrição funcional também podem incluir sugestões para mudanças na dieta, como a eliminação de alimentos excessivamente processados ​​ou grupos inteiros de alimentos, como glúten ou laticínios.

Tudo para ajudar a equilibrar o microbioma intestinal.

A nutrição funcional também leva em consideração o impacto do ambiente, dos fatores emocionais e do estilo de vida na saúde da pessoa.

Portanto, a nutrição funcional pode incluir recomendações de atividade física, gerenciamento do estresse, sono adequado e outras práticas saudáveis.

Os nutricionistas funcionais trabalham em conjunto com outros profissionais de saúde para fornecer uma abordagem integrativa e holística à saúde e ao bem-estar.



A importância do microbioma intestinal

O microbioma intestinal é o conjunto de micro-organismos, principalmente bactérias, que habitam o trato gastrointestinal humano.

Esses micro-organismos desempenham um papel importante na manutenção da saúde do corpo humano. Estão envolvidos em funções como a digestão de alimentos, a produção de vitaminas e a regulação do sistema imunológico.

Existem cerca de 100 trilhões de micro-organismos no microbioma intestinal, que representam cerca de 1-2 kg de peso no corpo humano.

Esses micro-organismos têm uma relação simbiótica com o corpo humano. Ou seja, eles se beneficiam do ambiente do trato gastrointestinal e, em troca, fornecem benefícios ao hospedeiro humano.

Assine a Newsletter do blog e receba por e-mail todas as atualizações e ofertas exclusivas. É só preencher os campos abaixo:



O microbioma intestinal pode ser afetado por vários fatores, como a dieta, o uso de antibióticos, o estresse e o estilo de vida.

Alterações no microbioma intestinal têm sido associadas a uma série de doenças, como obesidade, diabetes tipo 2, doenças inflamatórias intestinais e doenças autoimunes.

A compreensão do microbioma intestinal e sua interação com o corpo humano é uma área ativa de pesquisa e tem implicações significativas na nutrição e na medicina.

Estratégias para promover a saúde do microbioma intestinal incluem a ingestão de alimentos ricos em fibras e prebióticos, o uso de probióticos e a redução do consumo de alimentos processados e açúcares refinados.



Nutrição funcional e fitoterapia

A nutrição funcional e a fitoterapia são duas abordagens complementares que podem ser usadas para promover a saúde e prevenir doenças.

A nutrição funcional se concentra em identificar as necessidades nutricionais individuais e desenvolver uma dieta personalizada para atender a essas necessidades.

A fitoterapia, por sua vez, faz uso de plantas medicinais para tratar doenças e melhorar a saúde.

As plantas medicinais contêm compostos bioativos que podem ter efeitos benéficos no corpo humano, como propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e antimicrobianas.

Essas propriedades podem ser usadas para tratar uma variedade de condições de saúde, como ansiedade, insônia, dor, inflamação e infecções.

A fitoterapia pode ser incorporada à nutrição funcional. Ou seja, as plantas medicinais podem ser usadas como complementos alimentares, na forma de chás ou infusões, ou como ingredientes em receitas culinárias.

Por exemplo, o alho pode ser adicionado a receitas para reduzir a pressão arterial, enquanto o gengibre pode ser usado para reduzir a inflamação e o desconforto gastrointestinal.

Os nutricionistas funcionais que utilizam a fitoterapia em sua prática podem ajudar os pacientes a identificar as plantas medicinais que melhor atendem às suas necessidades e integrá-las em uma dieta saudável e equilibrada.

No entanto, é importante lembrar que o uso de plantas medicinais deve ser supervisionado por um profissional de saúde treinado para garantir sua segurança e eficácia.



E a Nutrição Funcional Integrativa?

A nutrição funcional integrativa é uma abordagem da nutrição funcional. Leva em consideração o indivíduo como um todo, considerando aspectos físicos, emocionais e ambientais que afetam a saúde e o bem-estar.

A nutrição funcional integrativa se baseia na ideia de que cada pessoa é única. Requer uma abordagem personalizada para atender às suas necessidades nutricionais e de saúde.

Além de analisar a dieta e o estilo de vida do indivíduo, a nutrição funcional integrativa também considera fatores como histórico de saúde, genética, estresse, sono, exposição a toxinas e outros fatores ambientais que possam afetar a saúde.



O objetivo da nutrição funcional integrativa também é abordar as causas subjacentes dos sintomas e doenças, em vez de apenas tratar os sintomas.

Por exemplo, em vez de simplesmente prescrever uma dieta para tratar a pressão arterial alta, um nutricionista funcional integrativo trabalharia com o paciente para identificar fatores de estilo de vida, como falta de exercício e estresse, que possam estar contribuindo para a pressão arterial elevada e desenvolver um plano personalizado para abordar esses fatores.

A nutrição funcional integrativa também pode atuar junto com outras terapias complementares. Como por exemplo, acupuntura, terapia hormonal, terapia de desintoxicação e fitoterapia, para ajudar a tratar a pessoa como um todo.

Tudo isso, lógico, trabalhando junto a outros profissionais de saúde com essas habilidades.

Em resumo, a nutrição funcional integrativa é uma abordagem holística da nutrição e da saúde que considera o indivíduo como um todo e visa abordar as causas subjacentes das doenças e sintomas para promover a saúde e o bem-estar a longo prazo.



Onde encontrar mais informações

Se você deseja se aprofundar nos conceitos e práticas da Nutrição Funcional, coloquei abaixo links para a Amazon de alguns dos livros mais bem avaliados sobre o assunto.

Veja também os posts clicando nos links abaixo:

Enfim, é isso por hoje. Já segue o Almanaque da Mulher no Instagram? É @almanaquedamulher. Te espero também por lá.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: