mas esse pão é integral mesmo

Mas esse pão é integral mesmo?

Acho que a maioria das pessoas já ouviu em qualquer dieta, seja para emagrecer ou apenas para levar uma vida mais saudável, que é muito importante consumir alimentos feitos com farinha de trigo integral ao invés das versões feitas com farinha branca comum.

E você sabe como a farinha de trigo integral é obtida e por que devemos sempre que possível optar por produtos feitos com ela para termos uma alimentação saudável? O pão de forma que você paga caro no supermercado é realmente integral?

Veja as respostas para essas e outras perguntas lendo o post que eu preparei abaixo:

 

Como é produzida a farinha de trigo integral?

O grão de trigo integral é aquele que possui casca ou farelo, endosperma e gérmen. Abaixo coloquei uma imagem da anatomia de uma grão de trigo integral para te ajudar a entender.

Anatomia de um grão de trigo
Grão de trigo integral

É na casca que estão as vitaminas, os sais minerais e as fibras. O endosperma, que compreende a maior parte do grão, contém principalmente amido e proteínas e o gérmen, que servirá para dar origem a uma nova planta se o grão for cultivado, contém vitaminas, sais minerais, proteínas e gorduras.

A Instrução Normativa nº 8 de 2005 do Ministério da Saúde define a farinha de trigo integral como: “o produto elaborado com grãos de trigo (Triticum aestivum L.) ou outras espécies de trigo do gênero Triticum, ou combinações por meio de trituração ou moagem e outras tecnologias ou processos a partir do processamento completo do grão limpo, contendo ou não o gérmen”.

Para a obtenção da farinha de trigo integral a indústria só faz apenas o beneficiamento do grão, que consiste na limpeza para a retirada de partes indesejáveis e não comestíveis, como grãos fora do padrão, pedras, restos da planta, insetos etc. seguida pela moagem do grão de trigo até a obtenção da farinha.



Farinha de trigo integral x farinha branca

Ou seja, na farinha de trigo integral deverão ser encontrados todos os nutrientes contidos no grão de trigo integral como amido, fibras, proteínas, vitaminas, sais minerais e lipídios. Mas a própria legislação permite, conforme a definição da Instrução Normativa apresentada acima, que haja farinha de trigo integral sem o gérmen, então, você deve observar isso na embalagem e optar, quando for comprar a sua farinha, sempre pela farinha de trigo integral com o gérmen, a mais nutritiva.Mas é pão integral mesmo?

Já para produzir a farinha de trigo branca a indústria retira dos grãos a casca e o gérmen, ficando apenas o endosperma que em seguida é moído até a obtenção da farinha refinada. Então, a farinha de trigo branca ou comum possui apenas amido e proteínas, sendo em comparação com a farinha integral um alimento mais pobre em nutrientes. Entre essas proteínas está o famoso glúten.

Com o refinamento do grão de trigo para a obtenção da farinha de trigo branca comum são perdidos nutrientes importantíssimos para a nossa saúde, como as vitaminas, os sais minerais e as fibras.

As vitaminas e sais minerais atuam regulando o funcionamento do nosso corpo e as fibras têm um papel essencial para garantir a nossa saúde. Apesar de não serem absorvidas, uma vez que nosso corpo não consegue digeri-las, as fibras ajudam a prevenir doenças como câncer, obesidade, diabetes e hipercolesterolemia. Atuam “limpando” os intestinos, aumentando a sensação de saciedade, reduzindo os níveis de colesterol e de glicose no sangue, além de outros benefícios. Por isso não podemos abrir mão das fibras.

O amido é a fração encontrada em maior quantidade tanto na farinha de trigo integral como na refinada. O amido  é um carboidrato, uma das possíveis fontes de energia  na nossa alimentação.

No caso de produtos feitos com farinha de trigo refinada, o nome encontrado na embalagem é “farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico”. Trata-se da farinha de trigo branca comum adicionada desses dois nutrientes para atender a legislação brasileira.

A indústria adiciona ferro e ácido fólico (uma vitamina) conforme a determinação do Ministério da Saúde com o objetivo de prevenir algumas doenças causadas por deficiência desses nutrientes, amplamente disseminadas no Brasil. O Ministério da Saúde escolheu a farinha de trigo para ser enriquecida, pois é um alimento de amplo consumo em todo o território brasileiro.

Mas para que comprar uma farinha com alguns nutrientes adicionados pela indústria se podemos consumir um alimento muito mais rico nutricionalmente e produzido pela Mãe Natureza?

 

Descubra o que você está realmente comprando

Como muitas pessoas já ouviram que é importante para a saúde o consumo de alimentos integrais, quando vão as compras procuram pelas embalagens que constam a palavra “integral” em destaque achando que assim estão trazendo para casa um alimento mais nutritivo, e como a indústria não é boba, em geral bem mais caro.


Agora a pergunta é: será que todos os pães que trazem na sua embalagem a palavra “integral” em destaque são realmente integrais?

A resposta infelizmente é não! É importante dizer que a simples presença da palavra integral na embalagem de um alimento não significa que este é 100% integral. A grande maioria dos produtos é feita com uma mistura de farinha integral com farinha refinada em percentuais amplamente variados. A legislação brasileira não especifica um percentual de farinha integral mínimo para que o fabricante utilize essa informação no rótulo do seu produto. Assim, você pode comprar um produto dito integral com somente 1% de farinha integral e 99% de farinha refinada ou então, o produto pode ser totalmente feito com farinha refinada, mas levar grãos integrais ou um pouco de farelo de trigo adicionados à massa em qualquer quantidade e ser considerado integral.mas esse pão é integral mesmo

A indústria de alimentos, devido a várias brechas na legislação, usa nas embalagens dos alimentos informações em destaque que só visam agregar valor aos produtos, para que assim possam ser vendidos por preços muito mais altos. Palavras como: integral, light, ricos em grãos, etc. são utilizadas pelas indústrias para promoverem seus alimentos, mas muitas vezes, nutricionalmente, não apresentam vantagem nenhuma. A indústria não está fazendo nada fora da lei neste caso, a legislação é que precisa ser aprimorada para que as embalagens não levem o consumidor a erro.


E não adianta tentar se guiar pela cor do produto, pois muitos outros ingredientes podem ser adicionados ao pão conferindo a este alimento uma cor mais característica dos produtos feitos a partir da farinha integral sem ser.

 

Mas é agora, como saber se o pão é realmente integral?

A principal dica é se guiar pela lista de ingredientes contida em todas as embalagens de alimentos. A legislação brasileira estabelece que os ingredientes que são listados primeiro estão presentes em maior quantidade no produto. Ou seja, todos os ingredientes devem ser apresentados em ordem decrescente, isto é, o primeiro ingrediente é aquele que está em maior quantidade no produto e o último, em menor quantidade.

Então, no caso de um pão de forma, por exemplo, se na lista de ingredientes a farinha refinada vier na frente da farinha de trigo integral este pão terá uma porção maior de farinha processada e, consequentemente, menos fibras, vitaminas e sais minerais. Então um pão de forma em que o primeiro item da lista de ingredientes é farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico não é a melhor escolha. Procure comprar o pão integral que tenha como primeiro ingrediente da lista a farinha de trigo integral.

Mas essa não é a única informação que devemos procurar nos rótulos dos alimentos. Outra informação preciosa é o tipo de gordura usado na preparação do pão. Novamente a lista de ingredientes irá fornecer toda a informação necessária.

Se na lista você ler algumas dessas palavras: gordura vegetal, gordura vegetal hidrogenada, gordura hidrogenada, margarina, gordura interesterificada, saiba que está adquirindo um produto péssimo para a saúde, mesmo que o primeiro ingrediente seja a farinha de trigo integral.

A gordura vegetal hidrogenada já foi proibida nos EUA e na Europa. Todos esses nomes que eu falei são sinônimos da gordura trans, uma gordura produzida em laboratório a partir da hidrogenação (incorporação de moléculas de hidrogênio) dos óleos vegetais.


A gordura vegetal hidrogenada é excelente para a indústria de alimentos, pois produz alimentos com ótima aparência, não altera o sabor, mantém a umidade dos produtos por mais tempo e durabilidade na prateleira e é barata, mas em contrapartida envenena nosso organismo. Essa gordura é encontrada em pães, bolos industrializados, biscoitos (principalmente os recheados), pipoca de micro-ondas, sorvetes, alimentos prontos congelados entre outros produtos.

Outros itens que você deve pesquisar na lista de ingredientes é a presença de aditivos como conservantes, emulsificantes, aromatizantes, melhoradores de farinha etc. É difícil um alimento industrializado que não tenha pelo menos um conservante, o problema não é ter um tipo desses ingredientes, mas vários. Tem pão de forma 100% integral que não estraga nunca! Sabe por quê? Porque é cheio de aditivos, mais de 5 na lista de ingredientes! Um exagero! É bom para a indústria que pode ter um alimento exposto na gôndola do supermercado por várias semanas sem estragar, mas com certeza não será bom para o seu organismo. O consumidor também prefere o pão de forma mais macio, mas mal sabe ele que a maciez é devida a vários aditivos que foram adicionados ao pão. Mas será que isso vale a pena?!

 

Se é integral mesmo posso consumir a vontade?

Outra vez a resposta é não! Por mais que sejam mais saudáveis, os pães produzidos com farinha de trigo integral são também calóricos e devem ser consumidos com moderação.

A Organização Mundial da Saúde não tem uma recomendação oficial sobre a quantidade de farinha integral que deve ser consumida diariamente, a indicação é apenas referente à ingestão de fibras, que deve ficar em torno de 35 gramas diárias. E para atingir essa meta é aconselhável variar as fontes ao longo do dia, consumindo frutas, verduras, legumes, cereais, leguminosas e oleaginosas. Os produtos integrais são mais uma opção.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *